Intérpretes em Crise : lote3

O espectáculo Intérpretes em Crise foi a minha forma de existir e ativar artisticamente a residência LOTE# em suas 3 edições.

Durante minha residência tive espaço e tempo para pesquisar e testar formulações provisórias do trabalho através de experimentos abertos até chegar em sua resolução final com a colaboração-ajuda-apoio-amor da Aline. Sem ela, a coisa toda não teria sido tão divertida.

A estreia do trabalho aconteceu no LOTE#3, o que me deixa emocionada e com vontade de chorar esse espetáculo muito e mais!

Intérpretes em Crise | Clarice Lima e Aline Bonamin

Intérpretes em Crise questiona o lugar do intérprete na contemporaneidade, problematiza a formação do Intérprete Incrível e chora as condições dadas para a criação e difusão de um espetáculo de dança contemporânea.

O trabalho passeia pela nossa memória de dança resgatando e projetando tempos que vivemos ou gostaríamos de ter vivido para falar dessa crise do fazer da dança, dessa vontade louca de dançar, do amor à dança e também de outros clichês.

Intérprete que quer ser intérprete, que faz 3 aulas por dia, que toma redbull e relaxante muscular, que dança numa grande companhia, que não come glúten, que pinta o cabelo de acaju, que tem espetáculo agendado até 2015, que isso é tudo que sempre quis, que se sente cansado a maior parte do tempo, que não vai operar o joelho, que engordou, emagreceu, engordou, emagreceu e começou a fumar, que não é um jovem coreógrafo, que adora camarim, cheiro de mofo e naftalina, que não escreve projetos nem trabalha com produção, que leu Dançar a Vida de Roger Garaudy, que dança de meia no linóleo, que gosta de romance, cinema e de drink no dancing.

Dançar dói.